Violência contra mulher cresce 32% no Piauí durante a quarentena

Em 30 de abril é comemorado o Dia Nacional da Mulher, mas no Piauí não muitos motivos para festejar. Durante a pandemia o ambiente doméstico que deveria ser um local seguro contra o covid-19, se transformou em uma grande barreiras no enfrentamento à violência contra mulher. Pois não há vizinhos, amigos e familiares para observar sinais de lesões corporais ou alteração comportamental.

De acordo com os dados do Aplicativo Salve Maria, só no mês de março foram registradas 70 pedidos de socorro, através do botão de pânico do app, um aumento 32% se comparado a fevereiro, que teve 49 ocorrências.

Por causa deste dados a Joicyara Bernardes advogada e professora do Instituto de Educação, Ciência e Tecnológia do Maranhão (IEMA/ UP. AXIXÁ)  explica que é preciso aumentar a atenção e ampliar a divulgação do Aplicativo Salve Maria e de delegacias virtuais especializadas no Estado.

“Foi por esse aumento nos dados que a OAB sugere ao CNJ e ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, medidas para combater violência doméstica na quarentena”.

Violência contra mulher cresce 32% no Piauí durante a quarentena . Foto:Agência Brasil

Entre as sugestões ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ): 

1. prorrogação automática das medidas protetivas de urgência existentes;

2. deferimento de medidas protetivas de urgência com prazo indeterminado;

3. execução de campanhas com cartazes informativos em farmácias, bancos e supermercados, além das redes sociais;

4. monitoramento dos casos, com a divulgação periódica dos dados de ocorrências e medidas concedidas.

Ao ministério da Mulher

1. realização de uma campanha nacional com o alerta sobre o atual aumento da violência doméstica e familiar no Brasil e a divulgação de canais para realizar denúncia e procurar o auxílio;

2. recomendação para que os Estados implementem e/ou fortaleçam campanhas desta natureza com cartazes informativos em farmácias, bancos e supermercados, além das redes sociais;

3. recomendação às Polícias Civis para a Implantação das delegacias digitais, além de outras formas de facilitação dos mecanismos de denúncia pelos órgãos institucionais, a exemplo de WhatsApp e aplicativos, bem como a implantação de delegacias móveis para registro de ocorrências e pedidos de medidas protetivas.

Além da necessidade de políticas públicas, é preciso que todos fiquem atentos para não deixar nenhuma e, caso identifique uma violência doméstica, entrem imediatamento em contato com a polícia pelo número 180.

Fonte: Portalodia.com
Por Sandy Swamy

Comentários no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui